Suframa acompanha debate sobre questão ambiental no âmbito da reforma tributária

Nesta terça-feira (08), o titular da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Alfredo Menezes, cumpriu agenda em Brasília onde acompanhou, na Câmara dos Deputados, a reunião da Frente Parlamentar Mista para a Criação de Estímulos Econômicos para a Preservação Ambiental, com foco na reforma tributária. Na ocasião, o superintendente reuniu-se rapidamente com o deputado federal Aguinaldo Ribeiro, relator da reforma.

Durante o encontro, o superintendente debateu sobre o posicionamento do parlamentar acerca da questão ambiental, que destacou que o tema deve ser tratado com relevência durante a discussão sobre a reforma tributária. “Cada dia mais a gente vai percebendo que o meio ambiente é uma riqueza. Do ponto de vista inclusive econômico e de monetização. Então, no aspecto da reforma tributária, nós estaremos levando em consideração”, disse Aguinaldo Ribeiro.

Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados

O superintendente da Suframa afirmou que este viés ambiental está totalmente associado ao modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e este é um dos motivos a se garantir que a reforma tributária mantenha os diferenciais competitivos à região. “Ao permitir a criação de um Polo Industrial de Manaus (PIM) no coração da Amazônia, a Zona Franca de Manaus possibilitou que a sociedade local – em especial no Amazonas – pudesse ter uma alternativa econômica não-predatória. Isto porque indústrias de alta complexidade, atestadas com diversos certificados, inclusive os ambientais, se instalaram e geram emprego e renda, diminuindo a pressão do homem sobre a floresta, contribuindo para a preservação de quase 98% da mata nativa do Amazonas. Isto deve ser levado em consideração para mantermos os diferenciais da região”, afirmou Menezes.

Além deste ponto, o titular da Suframa ainda destacou o projeto de industrialização das Áreas de Livre Comércio (ALCs), conhecido por Zona Franca Verde (ZFV), também sob administração da Autarquia. “A Zona Franca Verde incentiva o uso de insumos regionais para produção nas áreas fronteiriças da região, as ALCs. É mais um estímulo à produção ambientalmente mais responsável que está totalmente alinhada ao que foi discutido pela Frente Parlamentar”, complementou Menezes.

  • Texto: Márcio Gallo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *