Família de grávida morta no HB não aceita laudo e pede justiça

Familiares não aceitam laudo de que Luciene teve um surto psicótico e acabou morrendo em decorrência de um afogamento por refluxo.

Familiares e amigos de grávida que morreu na maternidade do Hospital de  Base  fizeram uma manifestação no último sábado. Eles pediam por justiça e acreditam que Luciene Gomes tenha sido vítima de negligência médica.

Luciene morreu no último dia 01 de agosto na maternidade do Hospital de Base Ary Pinheiro, quatro dias após de dar entrada na unidade, transferida da maternidade municipal, para se tratar de uma asma, com 37 semanas de gravidez.

Luciene era gêmea e mãe de adolescente de outro casamento. O bebê dela, estava previsto para ter alta médica no último sábado. Ainda na semana passada, o Conselho Regional de Medicina  (Cremero) abriu uma sindicância para apurar as denúncias de negligência.

A Secretaria de Estado da Saúde emitiu um comunicado em que declara que está apurado as informações e caso forem constatadas irregularidades como denunciam os amigos e familiares a equipe médica que atendeu Luciene será responsabilizada e punida.

  • Por Emerson Barbosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *