Léo Moraes apresenta projetos para a juventude

O deputado federal Léo Moraes se destaca por apresentar projetos inovadores e que garantam dignidade à população. Neste momento, duas propostas do parlamentar merecem claros holofotes: o PL 3432/2019 que dispõe sobre o incentivo e desenvolvimento de Startups e empresas de inovação e tecnologia; e o PL 3433/2019 com o objetivo de se alterar a Lei n. 8.080, de 1990, a fim de criar núcleos de atendimentos especializados para o tratamento de dependentes químicos na rede credenciada do SUS.

STARTUPS (PL 3432/2019)

Esta ideia dispõe a respeito da importância de se fomentar o empreendedorismo, através de aplicações voluntárias de parcelas do Imposto de Renda, por pessoas físicas ou jurídicas, como forma de patrocínio às jovens empresas. Além disso, caberia ao Poder Executivo instituir programas para facilitar o compartilhamento de novas ideias na área da ciência e tecnologia.

O desenvolvimento de uma Startup se dá em um ambiente de incertezas. Para o deputado, faz-se necessário o estabelecimento de um marco regulatório, de maneira a gerar segurança jurídica e apoio para os novos empreendedores.

“Apoiar o desenvolvimento de STARTUPS no Brasil é algo extremamente importante diante de um cenário de crise com taxas altas de desemprego. Além disso, muitos desses jovens talentosos acabam migrando para outros países, onde recebem apoio e reconhecimento”, explicou o deputado Léo Moraes.

De acordo com matéria publicada pela Revista Exame, sem capital de risco, é muito difícil persistir na busca pelo modelo de negócios enquanto não existe receita. Após a comprovação de que ele existe e a receita começar a crescer, provavelmente será necessária uma nova leva de investimento para essa startup se tornar uma empresa sustentável.

Neste sentido, o projeto de lei do Deputado Léo Moraes se mostra consistente e inovador, e preenche essa lacuna, gerando a oportunidade da Iniciativa Privada investir em Startups e Empresas de Inovação recursos do Imposto de Renda.        .

ATENDIMENTO A DEPENDENTES QUÍMICOS

O Projeto de Lei 3433 tem como alvo a alteração da Lei 8.080/1990, a fim de criar núcleos de atendimentos especializados para o tratamento de dependentes químicos na rede credenciada do SUS. Dentre outras coisas, a Lei dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde.

Essa proposta do deputado Léo Moraes também alcança a juventude brasileira, de maneira a oferecer atenção básica à crescente população, composta principalmente de jovens, que consomem drogas lícitas e ilícitas.

De acordo com o deputado Léo Moraes, o Estado não está a oferecer tratamento de saúde adequado a esses cidadãos. “No SUS, o dependente quando tem acesso, é enquadrado como doente mental e não recebe orientações específicas de como tratar a doença. Se possuir recursos, a pessoa dependente de droga pode recorrer a clínicas particulares onde o tratamento em regra é muito oneroso. Mas, o cidadão pobre que desenvolveu a doença da dependência fica estigmatizado e discriminado”, esclareceu o parlamentar.

Uma pesquisa da Fiocruz traça um retrato do uso de drogas, lícitas e ilícitas, no Brasil. O estudo ouviu mais de 17 mil pessoas em mais de trezentos municípios. O levantamento revela que 46 milhões de brasileiros de 12 a 65 anos beberam pelo menos uma dose de álcool nos 30 dias anteriores a pesquisa e quase cinco milhões usaram alguma droga ilícita 12 meses antes do questionário.

NOSSA LINDA JUVENTUDE

A preocupação com os jovens é uma das causas que mais motiva a atuação do parlamentar rondoniense. Segundo ele, faz-se necessário oferecer condições para o desenvolvimento de jovens talentosos  para o empresariado, que acabam deixando o Brasil em busca da segurança oferecida por outros países. De igual maneira, faz-se necessário oferecer amparo aos jovens que são sequestrados pelo mundo das drogas.

  • Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *