China visa a ampliar relações bilaterais com a ZFM

Ao aliar atividade industrial e proteção ambiental, o modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) atrai a atenção de diversos países que têm por objetivo investir em regiões que permitam o desenvolvimento socioeconômico sustentável. Este foi um dos motivos que levou uma comitiva da cidade de Zhengzhou, capital da província chinesa de Henan, a visitar a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) nesta segunda-feira (12), onde buscaram entender melhor sobre a ZFM e as oportunidades locais de investimentos.

O vice-prefeito de Zhengzhou, Wan Zheng Feng, acompanhado pelo delegado-chefe da Zona Franca de Zhengzhou, Zhu Zhaolong, foi recebido pelo superintendente adjunto de Operações da Suframa, Luciano Tavares, e pelo superintendente adjunto de Projetos, Gustavo Igrejas. Estavam presentes, ainda, pela comitiva chinesa, representantes das áreas de desenvolvimento da cidade, economia, relações internacionais e auditoria de contas de ZhengZhou e os coordenadores-gerais de Comércio Exterior da Autarquia, Felipe Esteves, e de Estudos Econômicos e Empresariais, Marcelo Pereira.

Na ocasião, além de ser realizada uma apresentação sobre o modelo ZFM, o superintendente Luciano Tavares ressaltou que atuou na China como adido militar entre os anos de 2008 e 2010, o que elevou seu conhecimento acerca da realidade e da visão estratégica chinesa no que tange a relações bilaterais e investimentos produtivos. “A China tem potencial de investir no Brasil e sabemos do interesse junto à Zona Franca de Manaus. Ficamos satisfeitos com a possibilidade de estreitar as relações entre as duas regiões e de compartilhar informações do modelo de desenvolvimento regional com esta comitiva. Estamos de portas abertas e será um prazer receber empresas chinesas na região, o que pode contribuir com o desenvolvimento de nossos países”, destacou, lembrando o crescimento ocorrido na região Norte do Brasil após a implantação da Zona Franca.

O vice-prefeito Waz Zheng Feng afirmou que “era um sonho antigo conhecer a Zona Franca de Manaus, pois entendemos que é um exemplo de desenvolvimento. Temos estudado o aumento da relação bilateral com a região, uma vez que temos um perfil de negócios parecido”. Feng ainda aproveitou a oportunidade para convidar a Suframa a participar de uma feira de negócios realizada no mês de outubro, na China.

Diante do interesse chinês em expandir suas atividades industriais e comerciais no Brasil, o superintendente Gustavo Igrejas destacou que “a Zona Franca de Manaus pode ser a porta de entrada para fabricação de produtos que atendam o mercado regional, nacional e da América Latina” e que a Suframa está a postos para atuar em conjunto com empresários e empreendedores internacionais.

  • Texto/fotos: Márcio Gallo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *