Será que um dia podemos dizer “que País era esse?”

Edilson Neves*

Atendendo a um pedido de um partido político chamado “Rede Sustentabilidade”, comandado pela ‘desengonçada’ Marina Silva, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar impedindo que o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil seja alvo de qualquer tipo de investigação por autoridades públicas em razão de ter tido acesso e noticiado informações publicadas pelo veículo em que trabalha.

Proteção

Muito bem, sabemos que a atividade jornalística tem proteção prevista na Constituição e não pode ser “interpelada por atos investigativos dirigidos a jornalista no exercício legal da profissão”. O Art. 5º, Inciso XIV, da CF, garante “a liberdade de expressão o direito de obter, produzir, notícias e divulgar fatos por quaisquer meios. Sobretudo preservar o sigilo da fonte jornalística, impossibilitando que o Estado utilize qualquer meio coercitivo para constranger a atuação profissional e devassar a forma de recepção e transmissão daquilo que é trazido ao conhecimento público”.

Imprensa

O papel da imprensa é fundamental na manutenção do Estado Democrático de Direito, a ponto de grande maioria das pessoas encararem como o ‘Quarto Poder’, devido ao fato de, no momento em que veiculam informações, estão desempenhando uma função essencial e exercendo uma capacidade crítica sobre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Mesmo não sendo considerado um ‘Quarto Poder’ constituído, é certo que a Imprensa é um poder de controle externo sobre os demais poderes. Porém, a liberdade de imprensa deve sempre se pautar no respeito aos direitos da personalidade prevista no próprio Art. 5º, inciso X, da Constituição Federal.

– No que se refere à investigação, eu me pergunto e também a você: Qual o problema de Glenn Greenwald ser investigado? Por que o Americano não pode ser investigado? 

O Art. 5º da nossa Constituição, diz que todos são iguais perante a Lei, sem distinção de qualquer natureza. O que não pode, é o Estado restringir a Liberdade de Imprensa e muito menos, de expressão.

Rede

Entretanto, voltando ao primeiro Parágrafo, o qual cito um partido político, pergunto: ‘Qual seria a ligação desse partido mequetrefe com o site The Intercept Brasil?; Será que o americano Glenn Greenwald está à serviço dessa esquerda corrupta?; O que e quem essas ONGs que prestam todo tipo de desvio, em conluio com esses partidos corruptos de esquerda está tentando proteger?  Por fim, qual seria o temor de Marina Silva?’ — O que está em jogo?

Respeito

Porém, existem algumas exceções! Reconheço que, existem algumas ONGs que mantêm suas características originais, prestando relevantes serviços a setores carentes da sociedade. Contudo, estas devem merecer nosso respeito e todo apoio.

Caixa preta

Para mim, não basta ter uma visão crítica do que está acontecendo: Nessa esteira, ainda, ‘existe muitas dúvidas a serem respondidas, sobretudo, a caixa preta do STF’.

Conceito

Porém, Rede é sinônimo de armadilha e também é usado para varias definições – como rede de pesca, de arrasto, de contatos, de ilusões, de malfeitores, de prostituição, de esgoto e por aí, vai. Na verdade, o partido criado por Marina Silva – que se intitula defensora das florestas e da biodiversidade – além de se apresentar como alguém de origem humilde, que defende os mais pobres e os animais. Porém, é importante lembrar que a ‘Rede’ de manipulação e dissimulação que Marina criou, à qual tenta mostrar que é do bem e confiável, na verdade, é mãe de um partido ‘progressista’, neto do PT e bisneto do PC do B.

Imagem

No entanto, vive passeando – vendendo uma imagem que não existe! Na verdade, aparenta ser um ser meio esquisito, além de ter hábitos estranhos, vive escondida em seu habitat; vive o tempo todo na rede; só aparece de quatro em quatro anos, precisamente, em época de eleição, totalmente patrocinada por esses organismos internacionais, que, na verdade, deveriam se dedicar às ações sociais ou solidárias, ajudando a população marginalizada, porém, vivem apenas defendendo seus interesses políticos.

O quadro é o mesmo, só muda a moldura

Entendo que, essa nossa República nunca deu certo e, provavelmente, nunca poderá dar certo: O Brasil não foi criado para ser uma República – como definiu Platão! E sim, um Império! E ainda tem um bando de ‘abestalhados’ que ficam falando um monte de bobagens. Já imaginaram o tamanho da riqueza que temos aqui? Na verdade, o povo brasileiro é muito desligado, só reclama e não faz nada para mudar! É por isso que estamos nessa!

Que País é esse?

Para se ter idéia, praticamente, todos os partidos estão envolvidos em corrupção ou a qualquer outro tipo de falcatrua! Principalmente, o MDB sem o ‘P’, PSDB e PT, esquerdista, socialista, comunista, social democrata… é tudo a mesma coisa! Eu pergunto: ‘Que País é esse?’

Filho

É uma República de filhos da (…), que foi tirada de seus pais biológicos por Pedro Álvares Cabral no Século XV, e desde, então, o pobre ‘filho’ só conseguiu ser adotado por ladrões oportunistas!

Continental

Você, provavelmente, já tenha ouvido falar que o Brasil é um país continental, ou com dimensões continentais, não é mesmo? Essa expressão é utilizada para dizer que, o território nacional, é muito grande. Por isso, é comparável à área de um Continente. Possui, aproximadamente, 8.515.767 km², com uma riqueza incalculável!

Extensão Geográfica

Há quem diga que o grande problema do Brasil é sua extensão geográfica. Grande demais para ser administrado, diversificado demais.

Políticos

Para mim, são os políticos: Além de roubarem tudo que podem, dão tudo que temos para os estrangeiros sem receber nada em troca — sem falar nesse pensamento estatizante que reina no nosso país, em que muitos acreditam que o Estado deve dar tudo de graça para os mais necessitados, quando, na verdade, está corroborando com a corrupção, demagogia, autoritarismo, o roubo das nossas liberdades e, mais bizarro ainda, o aumento da pobreza, gerando um número maior de necessitados, tornando-se um círculo vicioso que jamais chegará ao fim.

Quatro partes

Entretanto, há vários aspectos que podem ser considerados em um debate — se o Brasil fosse dividido em quatro partes seria mais fácil administrá-lo? Como seria essa divisão? Manaus seria a Capital da Região Norte (representando a Amazônica); Brasília, a Capital Federal do Centro Oeste; Fortaleza, a Capital nordestina (representando o Nordeste Brasileiro) e a Grande São Paulo, a Capital sudesina (representando a região Sul).

No Brasil

Quando se fala em Democracia, por tabela também se fala em liberdade de expressão e de pensamento. No entanto, curiosamente, o povo comete muitos erros quando fazem certas afirmações. Como, por exemplo: Eu não gosto de política, não me envolvo em política (…) preferem adotar uma postura ‘isenta’! Porém, o mínimo que se espera de um cidadão é que ele se inteire das questões que ocorrem no nosso país e se posicionem.

Independência

O que mais posso dizer? Falar sobre a independência? Deixamos de ser saqueados e explorados por Portugueses para sermos explorados pelos Americanos e países capitalistas. Além de sermos roubados pelos políticos! Não quero ser negativo, porém, francamente, não vejo saída. Para mim, a independência do Brasil é uma farsa!

Colônia

Às vezes, penso que vivemos num Estado que parece uma Colônia administrada por saqueadores! O Brasil já não é mais Brasil, faz muito tempo. Talvez, nunca tenha sido – aqui, a bancada ruralista impõe leis à sociedade, a bancada evangélica impõe leis ao país, vejam se pode um negócio deste?!

A cara do Brasil

É difícil dizer, ‘que Cara tem o Brasil’! Um país sem respeito, sem autoridades, abandonado pelos governantes. Lá fora, o Brasil é sinônimo de políticos corruptos, empresários ‘expertos’ e ladrões; de empregados malandros que pelejam vários anos para conseguir um emprego e quando o conseguem, três meses depois estão fazendo greve; uma Justiça injusta; uma polícia que protege bandidos; um mínimo salário de fome, a subserviência…. Enfim, tudo isso que vemos no dia a dia, nada mais é do que a ‘maldita herança’ que herdamos dos portugueses! E o pior de tudo: eles continuam fazendo tudo que já fizeram! Sem querer ser pessimista, do jeito que vai, o Brasil levará mais 500 anos para deixar de ser uma Colônia governada por ladrões.

– Por Edilson Neves*

*Jornalista e Editor do  jornal Correio de Notícias de Rondônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *