Domingo é dia de passear na litorina dos sonhos na Madeira Mamoré 

Porto Velho, RO – Começou neste domingo (9) os passeios de litorina nos trilhos da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM) em Porto Velho. Boa parte do público da Capital rondoniense pode não ter curtido ainda uma viagem de trem ou não ter sido informado da beleza que é olhar pela janelinha dos vagões onde o Céu e a Terra se encontrariam no horizonte.

Essa será a paisagem que turistas, visitantes e público em geral devem encontrar durante os passeios que começou nesse domingo 9, a partir das 9 h, ao preço de R$ 5 por ‘pessoa’ num simples vagão a motor com capacidade para 14 pessoas – mais o maquinista – num passeio de 25 minutos em trecho de 2,3 quilômetros sobre trilhos.

Quem foi ao local do evento no domingo (estação improvisada coladinha ao Museu Rondon) pode encontrar dirigentes da Associação dos Ferroviários da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (ASFEMAM), o prefeito Hildon Chaves e seu staff, autoridades (civis e militares), acadêmicos, escritores e intelectuais. Além do grande público convidado.

O objetivo do evento, segundo o presidente da categoria dos ferroviários, José Bispo de Morais, 86, apesar da rápida integração do presente com o passado de glória da nossa Ferrovia do Diabo, cantada e decantada pelo escritor amazonense (mundo afora) Márcio Souza, ‘a nos levar a uma viagem histórica que, certamente, irá nos abrir novos horizontes daqui pra frente’.

Com direito a fita inaugural pelo Cerimonial da Prefeitura, a abertura dos passeios oficiais da Litorina – recuperada pelos próprios ferroviários – deve movimentar muita gente do entorno da desembocadura do Igarapé Bate-Estaca no Rio Madeira, ao Museu Rondon até ao antigo Casarão usado pelo staff da Estrada de Ferro Madeira Mamoré.

Uma viagem bem mais em conta que um passeio de barco e mais aprazível, porque as pessoas estarão em contato com parte da floresta ainda em pé. ‘Os passeios na Litorina reaparecem no cenário da Ferrovia construída por diferentes povos, devendo atrair turistas para sua imperdível e charmosa área antiga e por sua impressionante história à Capital Porto Velho’, ressalta o Vice-Presidente George Telles (Carioca), 60 anos.

Durante os passeios, a cada lotação, o público poderá falar com o maquinista e saber de parte das ‘histórias’ e ‘causos’ sobre o aparecimento do ‘trem fantasma’ e sobre o número de dormentes usados na construção das bases dos trilhos até Guajará-Mirim.

Enfim, a boa pedida aos amantes da Madeira Mamoré para esse final de semana, segundo Bispo de Morais, ‘é entrarmos de cabeça nos passeios da Litorina neste domingo 9’, ele incentiva.

– Por Xico Nery | Redação/CNR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *