Sergio Pires

COMEÇA A FASE QUENTE DA CAMPANHA DO SEGUNDO TURNO

SERGIO PIRESO primeiro debate entre os finalistas na disputa pela Prefeitura da Capital, realizada na TV Band, teve uma boa organização e vantagem para Léo Moraes. Ele aparentou estar mais seguro, enquanto Hildon Chaves, campeão do primeiro turno,  teve momentos de aparente nervosismo. No geral, houve ataques de parte a parte, mas sempre dentro de uma perspectiva aceitável, afora um ou outro deslize mais forte. Léo tem o discurso pronto e ajustado, que repetirá em todos os confrontos que tiver com seu adversário, até a eleição e Hildon baterá na tecla de que é o novo, o que não faz conchavos, que sabe administrar. Houve, aqui e ali, um pouco de ataque mais duro, mas sem conturbar o ambiente. Nas redes sociais, é claro, os ataques pós debate ficaram com os partidários de um e outro se digladiando, mais pelo humor do que pelo ranço, o que é positivo, embora uma ou outra exceção de fúria e descontrole. Foi o primeiro confronto de uma série de cinco, só nas TVs, já que haverá outros em instituições da cidade.  O próximo será no SBT, dia 18, uma terça-feira. O terceiro (e que tem sido decisivo nas últimas eleições, até pelo tempo que permite à repercussão do que foi debatido), será dia 23, um domingo, na SICTV/Record. Dois dias depois, 25, uma terça, no SGC/Rede TV. E o último, a 48 horas da eleição, na sexta-feira, dia 28, na TV Rondônia/Globo.

Com um período de horário gratuito curto, distribuídos em TVs e Rádios, os debates poderão trazer, para Léo ou Hildon, os votos de grande número de indecisos.

Certamente nos próximos confrontos, os temas abordados serão ainda mais quentes, a troca de farpas mais contundente (espera-se que dentro da civilidade, embora, infelizmente, o eleitor, no geral, adore uma baixaria de vez em quando)  e que os enormes problemas da cidade sejam discutidos a fundo. Não só ter projetos para a Porto Velho de hoje como os que preparem a Capital para o futuro, devem fazer parte dos próximos debates. Esperemos que no mais alto nível possível. Temos dois bons nomes. Agora, é hora de começar a se decidir.

BOLA NAS COSTAS

Dependendo de onde vir o apoio, ele pode ser positivo ou negativo. Essa é a verdade. Por exemplo: o PMDB apoiar Léo Moraes é positivo. Mas ter o aval dos petistas, que estão vociferando contra Hildon Chaves nas redes sociais, pode sim é ser negativo. O PT (à exceção de Roberto Sobrinho), levou uma surra nas urnas, em Porto Velho. Não elegeu sequer um vereador. Então, esse “apoio” pode ser usado contra Léo Moraes. Já no caso de Hildon, ainda não se pode avaliar se alguns dos apoios recebidos são  positivos ou negativos. Lá na frente, na hora das urnas, se verá. Como os dois candidatos juram que não vão lotear a Prefeitura e nem abrir mão de seus programas para fechar acordos políticos, é bom avaliar bem, antes de divulgar de onde vem tal apoio. Pode ser bola nas costas…

SALVE O BOM SENSO!

Não é só Porto Velho,. Outras capitais do país, onde haverá segundo turno, aderiram ao “salve os ouvidos e olhos do eleitor” e acataram pedido dos partidos para que o tempo de propaganda eleitoral gratuita seja reduzida de 20 minutos por bloco, para 10 minutos, com metade para cada candidato. Em ao menos seis capitais, a decisão já foi tomada, sob alegação do alto custo das campanhas. Na verdade, os candidatos tomaram a decisão para agradar o eleitorado, que já não aguenta tanto tempo de propaganda, interrompendo sua programação  normal de TV. Além da Capital rondoniense, São Luiz, Recife, Goiânia, Cuiabá e Belo Horizonte já aderiram ao novo esquema do horário eleitoral. A previsão é de que a moda se espalhe. Menos no Rio de Janeiro, onde a Justiça Eleitoral não aceitou a redução de tempo pela metade. Vá se entender uma coisa dessas….

TRABALHAR NÃO, MORRER SIM…

Um menino de 15 anos trabalhava lavando carros. Tinha que fugir da lei, porque menor não pode trabalhar. Mas ele trabalhava. Dava duro para ajudar a sustentar a família pobre. Saía geralmente à noite, com seus trocados.; Na noite de sexta, ele deixava seu local de trabalho, quando foi abordado por dois canalhas, bandidos frios, covardes. Ao ser assaltado, o menino se assustou e saiu correndo. Os facínoras não tiveram pena: o mataram a tiros, pelas costas. Depois saíram tranquilamente na sua moto, para atacar e matar de novo. E tem gente que ainda discursa pelos direitos humanos desses filhos da mãe, desses assassinos, desses animais travestidos de gente.  É esse o país que nos entregaram, onde um menor não pode trabalhar, mas pode ser morto. Pobres de nós, que recebemos dessa gente podre, que está no poder há tantos anos, o país que eles tentam destruir…

VENDENDO ARMAS

As coisas estão mudando. Agora as leis estão valendo também para criminosos que antes eram apenas “pobres sem terra”. A juíza Miria Nascimento Souza, da Vara Criminal de São Miguel do Guaporé, condenou dois homens que vendiam armamento para a Liga dos Camponeses Pobres, a famigerada LCP, que ataca fazendas com armas pesadas. A decisão é ainda em primeira instância, ambos podem recorrer, mas é um indício de que, finalmente, começa a dar aos criminosos do campo, as penas que eles merecem. Um dos homens, além de ser condenado por venda ilegal de armas, ainda o foi por formação de quadrilha. O caso envolveu a violenta invasão da Fazenda Bom Futuro, quando a LCP atacou a propriedade a tiros e cometeu vários delitos, antes de sair de lá. Nessa área, a Justiça está mudando, para melhor…

CONFÚCIO E SEUS COLEGAS

O governador Confúcio Moura foi mais uma vez elogiado por seus colegas de Goiás, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e Distrito Federal, que estiveram essa semana em Porto Velho realizando mais um Forum de Governadores da região. O exemplo de Rondônia, que está conseguindo cumprir seus compromissos, mesmo com toda a crise e o esforço para manter os serviços públicos funcionando a pleno, impressionaram os visitantes. Outro destaque na reunião foi a ideia de se criar uma espécie de mercado comum entre os seis estados, facilitando negócios, com impostos iguais e incentivando emprego e renda. Confúcio ainda destacou, nas conversas com os governadores que aqui estiveram,  que todos devem se esforçar para fazerem mudar o cenário crítico da educação, da saúde e principalmente da segurança pública nos estados.

PERGUNTINHA

Você  acha que o apoio de petistas ajuda ou pode ser negativa para candidatos que disputam o segundo turno em várias cidades do país?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *