Programa Meu Remédio em Casa atende cerca de 2 mil pessoas em Porto Velho

Ao completar um ano de atendimento a pacientes de Porto Velho e região, o programa Meu Remédio em casa atende cerca de duas mil pessoas. Os medicamentos são distribuídos a partir da Farmácia Especializada de Rondônia, que fica no Setor Industrial de Porto Velho e todos os dias, lotes com cerca de 100 medicamentos diferentes, partem para serem entregues na residência de quem mais precisa: pacientes com doenças graves e crônicas.

Maria Eva F. de Lima, 69 anos, faz parte da lista de pacientes que recebem medicamento em casa, ela mora no bairro Conceição, na zona Sul, e necessita tomar remédio de maneira contínua para controlar o colesterol. “Não tinha remédio que baixasse e só me restou esse medicamento, que se tivesse que comprar seria bastante caro”, diz.

Ela começou a receber o medicamento em casa no início deste ano e explica como funciona o processo de entrega: “recebo direitinho. É tudo bem organizado. Como informam o dia que vai chegar o remédio, ficamos atentos aguardando. Não atrasa, nunca atrasou. Fico muito feliz porque até mesmo para sair para buscar seria muito difícil, é bem melhor receber o remédio em casa”, ressalta.

Maria Eva recebe medicamento para controlar o colesterol em sua residência, na zona Sul de Porto Velho

Maria Eva faz parte de um grupo de pacientes que precisa tomar medicamento de maneira sistemática para o tratamento de doenças graves e crônicas. Dona Maria Eva apresenta colesterol grave, que não consegue baixar com medicamentos entregues no Posto de Saúde.

Em Porto Velho, a maioria dos pacientes que recebe medicamentos em casa é para tratar osteoporose grave e asma. Mas nas entregas também constam remédios para tratar hepatite C, artrite reumática, enfisema pulmonar grave, insuficiência renal, pacientes que realizam hemodiálise e que foram submetidos a transplantes.

Álvaro Lazaretti, coordenador da Farmácia Especializada de Rondônia diz que atualmente são entregues medicamentos para tratar 175 tipos de doenças graves e crônicas diferentes. “Só não entregamos remédios controlados ou que precisam ser mantidos sobre refrigeração, para não correr o risco de perda de qualidade do medicamento. Temos intenção de futuramente fazer essa entrega, mas primeiro precisamos traçar uma estratégia bem segura”, detalha.

O coordenador explica que pacientes que apresentem doenças graves ou crônicas possam receber os medicamentos em casa é bem simples: primeiro é preciso a solicitação (laudo) de um médico, em seguida o paciente, em posse de seus documentos pessoais e do pedido médico, precisa fazer um cadastro na Farmácia Especializa, que fica na rua Aparício Carvalho, no Setor Industrial (próximo do hospital do Câncer). “O primeiro passo é fazer o cadastro, em seguida será verificado se o domicílio está dentro da área de abrangência dos Correios. No primeiro atendimento, o paciente leva o medicamento em mãos, a partir daí começa a receber em casa”, explica Álvaro.

Álvaro Lazaretti, coordenador do programa, mostra os “campeões” de pedidos na Farmácia

Após o início do recebimento, os pacientes precisam renovar a documentação e o laudo médico a cada três meses, para manter a participação no programa, informações que também podem ser prestadas por um membro da família, por exemplo.

AUMENTO DA ABRANGÊNCIA DO PROGRAMA

De acordo com o coordenador, cerca de 70% dos pacientes são idosos ou apresentam dificuldade para se locomover. “O que referenda a importância do programa”, reforça.

O próximo passo, de acordo com ele, é expandir os serviços para o interior do Estado. “Com o atendimento de pessoas que moram em locais mais distantes o programa vai ficar melhor ainda”, destaca. Ele explicou que moradores de comunidades que fazem parte da região de Porto Velho, mas que estão fora da cobertura dos Correios podem indicar um local de trabalho ou a residência de um familiar para receber os medicamentos. “Desde que no local tenha uma pessoa maior de idade para receber”.

Dessa forma, moradores de distritos e do setor chacareiro também podem se beneficiar da comodidade do recebimento em domicílio e da gratuidade do programa.

A partir da Farmácia Especializada são distribuídos cerca de 300 itens diferentes e segundo o coordenador, os trabalhadores dos Correios já sabem que a prioridade é a entrega dos medicamentos. “Todos sabemos que a entrega vai contribuir com a melhoria na qualidade de vida de muitos pacientes”, afiança.

– Fonte: Secom – Governo de Rondônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *