Presidenciáveis participam de primeiro debate de 2018 na TV aberta

A transmissão é estendida ao canal da emissora no YouTube. O Congresso em Foco acompanha a jornada de debates nas redes sociais. Assista ao debate e acompanhe a transmissão minuto a minuto no Twitter mais abaixo.

Assista ao debate:

Acompanhe a cobertura em tempo real no Twitter do Congresso em Foco:

Ex-ministro da Fazenda de Michel Temer e candidato do MDB, Henrique Meirelles repete o conceito de que é “candidato da própria história” e defende conquistas que diz ter protagonizado como chefe da equipe econômica. Foram as considerações finais do emedebista no

PSDB

Candidato do PSDB com o apoio do “Centrão”,  Geraldo Alckmin faz considerações ressaltando aspectos de gestão pública e dizendo ter a governabilidade necessária para comandar o Planalto. “Vamos mudar o Brasil. Emprego e renda”, concluiu o tucano.

Cabo Daciolo

“Tudo o que o Dr. Enéas [Carneiro] falava era verdade, e ninguém levava ele a sério” Foi assim que o Cabo Daciolo encerrou suas considerações finais no . Não sem, antes, ter lido trecho da Bíblia e iniciar seu discurso dando “glória a Deus”

Podemos

Candidato do Podemos, Alvaro Dias_ faz suas considerações finais defendendo Sérgio Moro e elogiando o economista Paulo Rabello de Castro, seu vice, com discurso voltado ao seu reduto eleitoral. “Paraná demonstra que a administração pública ainda é viável”

Bolsonaro

Nas considerações finais Jair Bolsonaro condena “ideologia de gênero”, defende o sepultamento do “Foro de São Paulo”, elogia o projeto Escola Sem Partido e repete o lema: “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.

PDT

Considerações finais de Ciro gomes promete tirar brasileiros do SPC e afaga desempregados dizendo que vai gerar “dois milhões de empregos já no primeiro ano” Ele pediu desculpas por ter confundido a esposa do juiz Bretas com a de Sérgio Moro sobre auxílio-moradia

Psol

O tema economia Candidato do Psol, Guilherme Boulos compara aliados do governo Michel Temer a Geraldo Alckmin, dizer que vai tributar dividendos é a mesma coisa que Meirelles dizer que não trabalha para bancos”, ironizou o líder do MTST

Primeiro pedido de resposta foi no quatro bloco – sinal de “alto nível”, disse o mediador Boechat. Jair bolsonaro rebateu Guilherme Boulos, para quem o deputado “jogou bomba não sei onde”. “Colocar bomba colocava sua chefe Dilma” Boulos pediu réplica e não levou.

Um dos mais cômicos momentos do  foi protagonizado por Ciro Gomes e Cabo Daciolo, para quem “o Brasil será a primeira economia do mundo, em glória do nosso senhor Jesus Cristo”. Ciro: “Democracia é uma beleza. Lutei por ela, mas ela tem seu custo”. Risos na plateia.

Cabo Daciolo diz q “comunismo não vai ter vez” em seu governo e acusa Ciro Gomes de ter fundado o “Foro de São Paulo”. “Não sei o que é isso. Não sei o que é o Foro de São Paulo. Acho que está respondido”, devolveu o candidato do PDT. “Sabe sim”, insistiu Daciolo.

Dizendo que Meirelles é mais um da base governista Guilherme Boulos chama ex-ministro de “banqueiro” e aproveita para fustigar Geraldo Alckmin: “Aqui tem 50 tons de Michel Temer

Esboço de palmas e vaias se segue à fala de Jair bolsonaro (PSL) com críticas aos atuais ministros e ao modelo de presidencialismo em curso no Brasil. Deputado riu depois de discurso religioso do interlocutor, Cabo Daciolo, candidato do partido Patriota.

Candidato do MDB, Henrique Meirelles rebate Geraldo Alckmin sobre projetos sociais e diz ter lido, em editoral, o site do PSDB chamando “Bolsa Família de Bolsa Esmola”. Tucano retruca e diz que o programa teve origem com seus correligionários.

Aliado ao “Centrão”, grupo de partidos que sustentavam Eduardo Cunha (MDB) na Câmara, Geraldo Alckmin diz que vai combater indicações políticas em uma eventual gestão tucana.

Já no terceiro bloco

Candidatos voltam trocar perguntas e respostas entre si. Senador Alvaro Dias_ diz que convidará Sérgio Moro para ministro da Justiça e provoca Geraldo Alckmin sobre . “Devemos reformar as instituições, começando pela reforma política”, responde o tucano.

Jornalista Lana Canepa pede que Guilherme Boulos fale sobre aborto, para que Marina Silva comente. “No nosso governo, aborto não vai ser tema do código penal, mas do SUS”, disse o candidato do MTST. Marina defende plebiscito caso haja mobilização para alterar a lei.

Bombeiro e evangélico, Cabo Daciolo (Patriotas) diz que “crise é mentirosa”. “Vamos realizar auditoria da dívida pública”, defendeu o deputado, que está em seu primeiro mandato.

Depois de quase meia hora sem ser acionado Ciro Gomes foi instado pelo jornalista Fábio Pannunzio a falar sobre reformas. “Esse sistema é irreformável. Temos que propor novo modelo de Previdência.” Ele criticou lei trabalhista de Michel Temer que “o PSDB apoiou”

Para o deputado Cabo Daciolo, “o grande problema da nação brasileira é a falta de amor”. Candidato do Patriotas participa de sua primeira corrida presidencial.

–  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *