OS TERRORISTAS DA LCP ATACAM, DESTRÓEM E AINDA USAM SEUS FILHOS COMO ESCUDOS

SERGIO PIRESA guerrilha voltou a atacar, no interior de Rondônia. Fortemente armados, com táticas e organização militar, dezenas de membros da famigerada e terrorista Liga dos Camponeses Pobres (LCP), que age invadindo e atacando propriedades no Estado, destruíram uma fazenda em Cujubim. Celerados, parecendo dispostos a tudo, pelo menos 46 membros do grupo foram presos pela Polícia Militar, poucas horas após o ataque devastador contra a Fazenda Paraíso, que seria de propriedade de um personagem bastante conhecido no Estado. A LCP atacou com tudo. Atirou em qualquer alvo que se mexesse; fez reféns; queimou tratores e outros implementos agrícolas; queimou caminhões, queimou a casa principal, uma igreja que havia na área e também incendiou galpões. Mascarados, usaram tudo o que aprenderam com as táticas de guerrilha ensinadas inclusive por membros das antigas FARC, que agora deixaram de praticar crimes na Colômbia. Pelo menos 60 bandidos atacaram a fazenda, usando pelo menos onze crianças, filhas deles mesmos, membros da milícia, como escudos. Depois de cometerem toda a sorte de crimes, esconderam-se na floresta. A Polícia Militar foi acionada e, usando inclusive helicópteros, localizou o bando criminoso. Os policiais foram recebidos à bala, mas revidaram e acabaram prendendo mais de quatro dezenas de envolvidos na destruição. Uma importante autoridade do Estado comentava, logo depois do episódio: “são os mesmos canalhas de sempre, travestidos de vítima. Usam mulheres e crianças como escudo, praticam toda a série de crimes, são presos, mas em poucas horas estão soltos de novo!”. Com a prisão de 31 homens e 15 mulheres, do grupo guerrilheiro-terrorista, outra autoridade sublinhava: “amanhã, certamente a delegacia estará lotada de advogados e membros dos direitos humanos”. Sintetizou e o fez com toda a razão. A propriedade destruída? Ah, com isso ninguém se preocupou. Como sempre.

De quem é a culpa pela LCP ter chegado estágio de guerrilha a que chegou? O que se sabe é que há ordens superiores bem claras para a Polícia Militar: atuar com energia e não permitir que esses bandidos continuem agindo impunemente. O problema é, muitas vezes, na área do Judiciário, onde os processos não andam e quando andam os terroristas são tratados como vítimas. A LCP quer violência, destruição e morte. Não há como negociar com gente que pratica o terrorismo abertamente, como se membros do Estado Islâmico fossem. Está na hora de colocar todo o peso da lei em cima desses criminosos!

O TCE E O ESGOTO ZERO

Nesta quarta, dia 19, deveria ser lançado o novo edital para a volta das obras da implantação do sistema de esgoto para Porto Velho. Deveria. Porque, menos de 24 horas antes, o Tribunal de Contas do Estado, de novo, decidiu cancelar o certame. A concorrência pública envolve uma obra de extrema necessidade para a Capital, com investimentos que superam os 107 milhões de reais e que já estão depositados, esperando a boa vontade e o apoio de instituições, como o próprio TCE, para que possa ser levada adiante. Qual a suspeita detectada antes sequer da abertura do edital? Que grave roubalheira estava preparada para engolir os recursos públicos e não permitir que eles fossem destinados às obras? Não há respostas para isso. O TCE decidiu e pronto. Pode ter sido algo grave ou um fio de cabelo encontrado na sopa. Pode ter sido a forma do chamamento público errada ou apenas uma firula. O que importa, na verdade, é que mais uma vez os milhares de porto velhenses estão sendo prejudicados. Somos uma Capital com praticamente zero de esgoto e temos 107 milhões de reais em caixa para fazê-lo. Será que o TCE ou outras instituições vão permitir, um dia, que ganhemos esse serviço vital? Ou vamos acabar perdendo também esse recurso? Lamentável!

PASTEURIZAÇÃO

A gauchada e quem veio das bandas do sul, certamente matou a saudade do frio, nessa terça. Os termômetros despencaram, chegando aos incríveis 16 graus, em Porto Velho, depois de uma segunda-feira, onde eles estiveram acima do dobro disso. Foi quase um processo de pasteurização (é aquele esquema de ferver o leite e congelar, em seguida, para acabar com as impurezas) a que a população rondoniense não está acostumada. Em Vilhena, quando a temperatura bateu nos 6 graus, houve quem achasse que o fim do mundo estava chegando. Nada disso. O fenômeno climático é passageiro e em poucos dias voltaremos aos nossos tradicionais 30 graus ou mais. No Rio Grande do Sul e em regiões mais altas também em Santa Catarina, neve, gelo, geada e temperaturas negativas. Em Bariloche, na Argentina, o frio marcou incríveis 25 graus negativos, quase a temperatura das tundras russas. Enfim, cadê o aquecimento global?

TRABALHADORES E SINDICATOS

Ainda sobre sindicatos no Brasil, vale a pena repetir alguns números. Existem no país hoje nada menos do que 16.800 sindicatos, 6.000 deles patronais e todos os demais de trabalhadores. Para comparar, basta lembrar que o vice campeão mundial em número de sindicatos é a África do Sul, com 191 entidades. O Estados Unidos tem 190. O Reino Unido, tem 168 sindicatos. Na Dinamarca, eles são 164. Na Argentina, que criou o peronismo e que vive do sindicalismo há décadas, existem apenas 91 entidades classistas. Com tanto sindicato no Brasil, um número pornográfico, os trabalhadores então estão bem representados? Claro que não. Nada menos do que 83 milhões de trabalhadores no país não são filiados a sindicatos e nem o querem. Os números são de 2014, mas continuam iguais, em termos de percentuais. Desse total, 52 por cento afirmavam, em pesquisa nacional, que o sindicato não representava sua categoria ou que ele não tratava dos interesses dos associados, mas apenas dos seus dirigentes. Deu pra entender por que tanto protesto contra o fim da obrigação do imposto sindical? Deu, não é?

CHEIRO DA LIBERDADE

A militarização do ensino em algumas escolas, causa confrontos ideológicos. Quem é a favor (principalmente pais de alunos), querem uma educação de qualidade, aliada a uma disciplina militar. Quem é contra (a maioria dos professores, principalmente por questões político/ideológicas/sindicalistas), quer as coisas continuem como estão. Mesmo com professores sendo agredidos por estudantes seguidamente; mesmo com a total falta de respeito a eles e às suas escolas; a violência que circunda os educandários; o tráfico de drogas chegando na vida dos estudantes, os que são contra alegam, entre muitas outras coisas, que a militarização é o fim da liberdade a que todos têm direito. O bom senso não indicaria um meio termo? Melhoria drástica na qualidade do ensino, disciplina sim, mas sem os absurdos de determinar que tipo de corte de cabelo os jovens devem usar; que tipo de cor nos cabelos podem usar; que tipo de roupa e por aí vai? Boa educação, disciplina, mas com o cheiro democrático da liberdade: será que isso é impossível?

EDGAR E O FUTURO

O prefeito Hildon Chaves está viajando, Edgar do Boi comanda a Prefeitura e as coisas têm andado bem. Edgar tem um estilo de trabalho parecido com Hildon. Madruga para acompanhar pessoalmente o andamento de obras e entra noite adentro, em bairros e em locais onde há serviços públicos. Não tivesse se enrolado no caso da Lava Jato, Edgar teria certamente uma carreira política das mais vencedoras, porque sabe fazer política, é trabalhador e dedicado. Uma pena mesmo que tenha ocorrido essa denúncia (que ninguém se engane, o assunto está andando no Ministério Público), porque, não fosse isso, Edgar iria longe. O que se espera é que, quando o caso for definido, que tudo seja esclarecido e que o vice prefeito de Porto Velho saia ileso do episódio. Porque ele tem todos os ingredientes para dar certo como político. Só, é claro, terá grandes prejuízos, caso a situação da denúncia do diretor do grupo JBS contra ele, não seja plenamente esclarecido.

RONDÔNIA APOIA

Agentes penitenciários federais estão iniciando campanha, procurando apoio da imprensa e da população (porque nos demais setores não conseguem), para a criação de uma lei que proíba a visita íntima de presos em cadeias federais. Ali estão encarcerados alguns dos piores bandidos, mas eles se comunicam livremente com o exterior, dando ordens e comandando o crime, através dos suas parceiras. Claro que há também casos de advogados que fazem o papel de mensageiros do crime, mas daí já é outra história e as soluções seriam outras. Nas últimas semanas, por ordens vindas de dentro dos presídios federais, três agentes foram assassinados em diferentes regiões do país. As determinações foram dadas pelas companheiras dos chefões e executadas por membros das quadrilhas. Os agentes de Rondônia também já aderiram à campanha. Só mesmo com grande apoio popular, porque os defensores dos direitos dos bandidos acham que a visita íntima é ótima. Claro, porque os criminosos não mandam matar ninguém da família deles. Mandam executar os agentes…

PERGUNTINHA

O que você acha de o governo federal ter cortado praticamente a metade das verbas para apoio à pesquisa científica e aos cientistas e médicos que lutam para encontrar cura para vários tipos de doenças raras?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *